fbpx

3 vacinas que se mostram promissoras no combate ao Coronavírus

Atualmente, enfrentamos uma verdadeira corrida pelo desenvolvimento de vacinas contra o Coronavírus. Entenda como funciona o processo da criação até distribuição. 

Primeiro, é importante entender que o processo de desenvolvimento de uma vacina eficiente é extremamente difícil, por isso ainda não temos uma imunização aprovada contra o novo coronavírus. 

As vacinas são feitas a partir de componentes do próprio agente causador da doença. Apesar disso, é necessário ressaltar que elas não causam nenhum tipo de patologia!

Quais são as etapas para descobrir a viabilidade da vacina?

Antes de produzir em larga escala e liberar o acesso a toda a população, qualquer vacina precisa passar por basicamente três etapas até serem consideradas seguras.

Fase 1: Estudo com um pequeno número de voluntários sadios, que verifica a segurança e eficácia em gerar respostas no sistema imunitário;

Fase 2: Centenas de voluntários escolhidos de maneira aleatória, incluindo algumas pessoas pertencentes ao grupo de risco, recebem a vacina;

Fase 3: Milhares de testes são feitos para avaliar a segurança da vacina em um ambiente comum, onde pessoas infectadas e sadias convivem. 

Se a candidata a vacina for aprovada, ela precisará passar pelo processo de regulamentação do país para só depois ser fabricada em larga escala e distribuída.

Como estão os estudos para produção de vacinas contra a COVID-19?

Pelo menos nove países já estão com estudos adiantados, fazendo testes em humanos na fase 3. Dentre elas, três vacinas se destacam, sendo elas uma vacina Russa, uma Brasileira e uma Britânica. 

A vacina russa receberá aprovação regulatória ainda em Agosto, mesmo sem ter concluído a terceira fase de testes. Estima-se que, se comprovada sua eficácia, o primeiro lote será produzido em Outubro de 2020. 

Já a vacina brasileira, desenvolvida pelo Instituto Butantã em parceria com a China, se mostra muito promissora e tem previsão para produzir o primeiro lote, de 60 milhões de doses, em Janeiro do ano que vem. Lideranças governamentais já estudam maneiras de angariar fundos para reformar a fábrica onde será produzida para dobrar a produção e viabilizar a exportação para a América Latina. 

A candidata britânica também está na fase três de testes e o Brasil firmou um acordo para adquirir dois lotes da vacina que somam 100 milhões de doses importadas. O primeiro lote, de 30 milhões de doses está previsto para chegar em dezembro de 2020, caso a vacina seja aprovada. 

O que esperar do futuro?

Ao total, existem mais de 100 vacinas em fase de testes por todo o mundo. Enquanto não recebemos a tão aguardada notícia de um estudo aprovado, devemos continuar tomando todas as medidas de precaução, permanecendo em casa, realizando a higienização de compras e se precisar sair, use máscaras!