fbpx

Conheça o histórico das pandemias no mundo

O Coronavírus tornou-se uma pandemia alarmante para o mundo. Porém, outras pandemias já existiram em nosso planeta. Conheça a seguir!

No final de 2019, tivemos o primeiro registro de Coronavírus na China. E, por conta de sua altíssima taxa de transmissão, hoje, o mundo todo está em alerta no combate do vírus. O novo Coronavírus chegou em todos os continentes, sendo assim, a Organização Mundial da Saúde (OMS) o definiu como caso de pandemia. 

De acordo com a OMS, a taxa de mortalidade do vírus é de 3,4%, porém para grupos de risco, idosos e portadores de doenças respiratórias, a taxa sobe para 15%. Sendo a sua taxa de transmissibilidade algo consideravelmente alarmante, o vírus pode contaminar cerca de 70% de toda a população do planeta. Isto é, segundo pesquisas da Universidade Harvard, EUA, mais de 5 bilhões de pessoas podem ser infectadas com o novo Coronavírus.

Tendo isto em vista, o novo Coronavírus já é considerado uma das mais preocupantes pandemias da história do globo terrestre. Porém, outras pandemias já aconteceram ao redor do nosso mundo. Não sabe quais? Confira a seguir!

As pandemias no mundo

Peste bubônica

A peste bubônica era uma infecção rara causada por bactérias. Sua transmissão era feita por meio de pulgas e foi uma pandemia consideravelmente grave. A bactéria Yersinia pestis era disseminada pelo contato com estes pequenos insetos infectados. Quando contaminadas, as pessoas ficavam com seus gânglios linfáticos inchados, isto é, virilha, axila e pescoço grandes como ovos de galinha. Febre, dor de cabeça, fadiga, calafrios e dores musculares também eram sintomas de peste bubônica. Apenas com o tratamento hospitalar imediato com fortes doses de antibióticos era possível sua cura.

Varíola

Seus sintomas eram também parecidos com o da gripe, porém, os contaminados apresentaram irritação na pele do rosto, mãos e antebraços, até se espalhar pelo resto do corpo. A cura da varíola não existiu. Até porque sua vacina tem efeitos colaterais arriscadíssimos para se levar a vacinação a pessoas que não possuem risco de contaminação. Contudo, em 1980, a varíola foi extinguida do mundo naturalmente

Cólera

Diarreia grave e desidratação eram os sintomas desta doença transmitida por bactérias presentes na água. Sem um tratamento imediato, a cólera é altamente letal. Além dos sintomas acima, a cólera também provocava, em casos raros, choque hemorrágico, isto é, a perda de mais de 20% do sangue e do fluido corporal. Convulsões também faziam parte dos quadros mais graves. Somente com o uso de antibióticos, reidratação e transmissão intravenosa de fluidos (IV) é que se obtém o tratamento da cólera.

Tuberculose 

A tuberculose é uma grave doença infecciosa que atinge sobretudo os pulmões. Transmitida por bactérias, a tuberculose se dissemina através de tosses e espirros. Normalmente, as pessoas contaminadas com a bactéria causadora da tuberculose não apresentam sintomas, e não é necessário tratamento. Entretanto, tosse (algumas vezes seguidas de sangue), sudorese noturna, febre e perda de peso são manifestadas em alguns casos. E, nestes, é indispensável o tratamento com uma série de antibióticos.

Gripe Espanhola

O vírus Influenza é o vírus que causa a gripe espanhola, uma forte gripe que se dissemina entre o ar. Esta pandemia surgiu no início do século XX, e devido ao surto começar intensamente na Espanha, recebeu o título de Gripe Espanhola. Porém, ironicamente, não foi na Espanha que o vírus teve sua origem. Mesmo sem uma cura, a doença acabou desaparecendo em meados de 1920, quando não se teve mais registros de enfermos.

HIV

Human Immunodeficiency Virus, ou Vírus da Imunodeficiência Humana em português, é o vírus que causa a AIDS. Os contaminados ficam com seu sistema imunológico debilitado, deixando-os vulneráveis quando contaminados por outras doenças. Os linfócito T CD4+ são as células mais impactadas. Isto é, o DNA da célula é alterado pelo HIV, que acaba criando por meio dela mais cópias de si mesmo. Ainda não existe um tratamento que possa comprovadamente curar a AIDS, mas algumas pesquisas estão a caminho. Atualmente, para retardar o progresso da enfermidade e prevenir outras complicações, o paciente deve seguir rigidamente os regimes antirretrovirais (ARVs).

H1N1 – Gripe Suína

O vírus H1N1 é causador da doença homônima com sintomas também similares ao de uma gripe comum. Porém, é muito importante alertar-se, no caso de sinais, e procurar atendimento médico! O tratamento para sua cura acontece por meio de medicamentos, como o Tamiflu, que aliviam os seus sintomas. Repouso, ingestão de líquidos e isolamento social também é recomendado para não transmitir a doença.

Coronavírus

Segundo dados do Ministério da Saúde publicados em 16 de junho de 2020, o Coronavírus atingiu o número de 34.918 casos novos nas últimas 24h e o total de 45.241 mortes confirmadas pela doença. Em seu portal ainda diz que “pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comorbidades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.” 

Existem em torno de 133 vacinas em avaliação e 10 delas em fase de testes clínicos para a cura da Covid-19. Os pesquisadores estão otimistas e, quem sabe, futuramente teremos mais um caso entre as pandemias extintas com sucesso.

FAÇA SEU CADASTRO NO GRUPO HYGEA

Se você é médico e está em busca de uma oportunidade de trabalho, cadastre-se conosco! Estamos constantemente selecionando e recrutando profissionais qualificados.